Review Desert Boot Sapataria Guido: O que achei da bota Argentina?

Powered by Rock Convert

A internet tem aproximadamente 79 milhões de resultados para desert boots. E olha que não contei os apelidos especiais em diferentes locais do mundo, como London Fog, no Brasil. O que falar sobre desert boots quando você não tem mais nada a dizer?

Não é segredo que eu curto uma desert boot de camurça. O texto sobre a Clarks foi um dos primeiros textos que escrevi no blog. O apelo estético deste estilo de bota masculina, que atravessou culturas e épocas, é um subproduto não intencional de uma fabricação utilitária.

É um design engenhosamente simples. A bota é formada basicamente por dois componentes: a sola de borracha crepe e um cabedal ingênuo, geralmente em camurça, na altura do tornozelo. No entanto, como qualquer design icônico, uma boa desert boot é muito maior que a soma de suas partes.

Mas, talvez por causa da simplicidade, muitos fabricantes acabam errando o design. Como disse George Bernard Shaw, “a simplicidade é o que há de mais difícil no mundo: é o último resultado da experiência, a derradeira força do gênio”.

É difícil encontrar uma boa simples desert boot, e já fazia algum tempo que eu estava procurando uma.

Fazem três anos que me separei da minha desert boot clarks. A minha primeira opção foi comprar o mesmo modelo que tinha. Porém, por algum motivo, eu já não gosto tanto delas. Com o dólar alto, encontrei algumas opções nacionais. Também não gostei, porque são ainda mais rechonchudas que as britânicas e o acabamento é um tanto rústico.

Estava prestes a comprar uma Astorflex. Elas são italianas e a fábrica segue práticas sustentáveis. Os materiais são melhores e estética é ligeiramente mais refinada que a Clarks, graças a uma sutil diferença no formato.

Felizmente, achei uma opção ainda melhor na Argentina. Fui na sapataria Guido e acabei pagando um menos por uma bota basicamente igual a Astorflex, em termos de materiais e estética.

A Argentina é famosa pelo seu couro e seus sapatos. Eu sabia que eles teriam um toque chamativo, por conta da herança italiana dos fabricantes de lá.

Por outro lado, percebi pesquisando online que existe uma vertente que valoriza os estilos clássicos. Provavelmente um outro ângulo da cultura dos imigrantes europeus e do tempo que a argentina passou no apogeu do cenário equestre internacional.

Era essa linha que eu planejava explorar, e a Guido foi uma das lojas que anotei para visitar. Fundada em 1952, ela é uma das mais tradicionais sapatarias Argentinas.

Como a maioria dos fabricantes sul americanos, o site é uma bagunça. Ele é cheio de estilos tradicionais misturados com outros meio esquisitos que eu nem vi na loja física. Mas não se deixe enganar. Os modelos que a Guido tinha em Recoleta eram todos feitos com requinte.

Tentei convencer a Nathalia a comprar alguns mocassins de salto alto estilo Gucci, que pareciam algo que você encontraria em Roma em 1968. Entre as fileiras de mocassins costurados à mão, saltou uma bota de camurça com uma linda sola de crepe natural amarelada.

Com o meu espanhol arranhado, pedi ao gerente de cabelos prateados e experimentei uma.

Que bota incrível!

  • O design é mais baixo do que a Clarks. O cano reto lembra a Astorflex, também bem anos 1960.
  • O cabedal é feito em couro de bezerro super macio, com o lado liso da pele voltado para dentro (ela não é forrada). É o tipo de couro utilizado em sapatos mais caros, com o lado da camurça para dentro.
  • As solas são um crepe quase branco, muito macio.

A principal diferença em relação a uma bota Clarks é a entressola de couro que fica entre o cabedal e a sola. Com isso, seus pés tem uma sustentação melhor.

Ela não tem palmilha. O pé fica apoiado nessa entressola de couro e numa meia “palmilha” de couro que cobre um outro pedaço de couro, que sobe um pouco o seu calcanhar.

O calcanhar tem uma decoração de couro. Desnecessário, mas faz parte da experiência calçadista sul-americana. Tem sempre que ter um “tchan”.

Ah, embora seja um pequeno detalhe, os cadarços também são de couro.

A forma da bota não pode ser chamada de “elegante”, mas eu absolutamente amo o visual casual e posso facilmente combiná-la com qualquer roupa do meu dia a dia.

Graças a forma um pouco mais fina e o bico menos redondo, podem ser vestidas com estilo casual mais elegante. A desert boot da Guido combina muito bem com a alfaiataria suave adaptada para um público mais informal.

É um estilo que eu gosto bastante porque traz algumas peças classicamente rígidas para uma realidade moderna, sem apelar para alterações drásticas ou modelagens extremas. As produções da Drake’s são um excelente exemplo do que estou falando:

Fiquei muito feliz com a compra. já estou usando bastante e são muito confortáveis. Consegui achar uma desert boot na Argentina tão bonita e bem feita quanto a outra que eu ia comprar, por um preço mais barato.

Fiquei com vontade de ter nas outras cores também! Quem sabe encomendo mais para frente, na loja online da Guido.

Powered by Rock Convert

3 thoughts on “Review Desert Boot Sapataria Guido: O que achei da bota Argentina?”

  1. Avatar
    Vinícius

    Olá, Lucas,

    É sempre ótimo encontrar novas marcas com propostas diferentes e que parecem valer o preço pago. Ótimo post.

    Qual tipo de construção utilizado nessa bota? Apesar da fama do couro argentino tenho curiosidade em saber como ele se compara às alternativas norteamericanas e européias. Você acha que o couro sobreviveria a uma possível futura resola?

    Abs.,

    1. Oi Vinícius, beleza? A construção dessa bota é stitchdown mas alguns sapatos eram goodyear welted. Falando específicamente sobre a bota, eu acredito que sim. A entressola é de couro e as pessoas trocam a sola da Clarks, que é de “papelão”. Abs!

  2. Avatar
    Ramon

    Bom dia Lucas!
    Sei que não é o tema desse post, mas o que aconteceu com os produtos da “da empresa de botas que você foi sócio” (para não dizer o nome)? Que isso meu, não vou detalhar a experiência, pois não é minha intenção prejudicá-los, mas está decepcionante no tocante ao design, a qualidade não sei, pois parei de adquirir produtos deles. Tenho quatro boas botas deles, mas parece que algo muito importante mudou por lá, os produtos estão estranhos, feios, mal acabados. Talvez não queira entrar em detalhes, eu compreendo, mas o que ocorreu com a empresa?
    Parabéns pelo blog que continua excelente!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *